sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

O Homem da casa chegou!

Como já aqui disse muitas vezes, os meus filhos são crianças muito doces, muito ternurentas, mas o M., para além disso, é de uma sensibilidade extrema, apesar de nem sempre parecer.
Ontem decidiu ser o homem da casa.
Primeiro ajudou-me a arrumar as compras que o Pai tinha trazido; depois pôs-me sacos novos nos contentores do lixo ( - aqui não tem saco, mamã!).
Quando lhes pedi para arrumar os brinquedos, ele arrumou os dele sem reclamar e, na ausência de pressa do P., começou ele a arrumar os brinquedos do irmão. Quando eu lhe disse para não arrumar porque não era criado do P., respondeu-me:
- O Miguel, arruma, mamã, o M. gosta.
Quis ser ele a ajudar o P. a subir as calças e até ao subir as escadas se mostrou crescido.
Primeiro não pediu colo como é seu habitual e depois, quando o P. pediu colo e ficou a chorar nas escadas ele foi a correr aflito: Eu dou-te colo mano, eu dou!
(como se ele conseguisse, o meu anjinho lindo…)
Finalmente, tirou ele a roupa e os sapatos (costuma resmungar para tirar os sapatos quando são de cordão, mas ontem nem me pediu ajuda!), foi sozinho à casa de banho limpar o narizito, foi buscar as fraldas do J. e esteve sempre ao meu lado a entregar-me os toalhetes: Eu ajudo-te, mamã, eu ajudo!
Nitidamente, cada um dos meus filhos vai desempenhar um papel diferente na nossa casa: O P. é o palhaço, o bem disposto, o cantor, que já desenha lindamente, um verdadeiro artista.
O M. é o protector, organizado, responsável, amigo, o confiável.
O J., ainda não sei bem. É muito simpático e divertido, gosta muito de festa, de bater palmas, de explorar. Adora brincar com os irmãos, mas não gosta de partilhar colo com eles. Não gosta de partilhar atenção. Provavelmente vai ser o miminho da casa, o mais exigente, mas a sua personalidade ainda não está perfeitamente definida.

Amo de paixão esta minha família linda que, apesar de tão recente, é tão minha, tão nossa, tão para sempre.