segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Amores e não amores

O P. está doente. Vomitou ontem, depois da sesta, vomitou depois ao final da tarde já em casa e passou a noite com febre...

Acho que não será nada de especial, mas ainda assim, fico sempre com o coração apertadinho...

O que me faz pensar que, de facto, não há amores maiores e amores menores. Há amores e não amores.

E o que sinto pelos meus filhos é um amor. Assim. Amor apenas. Infinito, sem limites nem condicões, eterno.
Um amor que mesmo nos momentos mais dificeis, como aqueles em que os três acordam ao mesmo tempo e os três reclamam o meu colo e eu maldigo Deus por não me ter feito com três pernas e seis braços, me faz ter a certeza nunca, por motivo algum, eu seria capaz de os abandonar.