segunda-feira, 30 de março de 2009


Podia explicar-te que às vezes a vida é apenas aquilo que é e não aquilo que devia ser, mas isso já tu sabes.
Podia explicar-te que às vezes nos perdemos de nós e não sabemos como nos reencontrar, mas isso também tu já sabes.
Podia até explicar-te que às vezes, por muito que se queira, não é possível voltar atrás, mas até isso tu já sabes.
Por isso, em vez de te explicar o que já sabes, queria apenas dizer-te que, para mim, independentemente de quaisquer palavras, serás sempre poesia.