segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Coisas que nao compreendo

Já aqui vos falei do blogue" filho para sempre", do S. e da X., de quem tenho o privilegio de ser amiga.
Há uns dias estivemos num jantar e estive outra vez com o J. Está tao lindo!
Um bebé tao doce como os Pais. Vai ser, seguramente, uma criança feliz...
Com o handicap de nao poder conviver com o irmão G.
O S. continua a nao ter notícias dele, continuam a privá-lo de ver o filho, de partilhar o seu crescimento.
Nao compreendo. Eu acho que até tenho uma mente aberta, com grande capacidade de entendimento, mas isto escapa à minha realidade.
Voces acreditam que a Mãe do G. nao o deixa chamar pai ao S.?
Desculpem X. e S. se isto é uma inconfidencia, mas que se lixe! Essa senhora, que eu nao conheço e que deve acreditar que lá tem os seus motivos, nao merece o vosso respeito!
Ela até podia ter toda a razão do mundo para odiar o S. (duvido seriamente, mas teoricamente seria possível), mas daí a colocar os interesses dela acima dos do filho, isso eu já nao compreendo...
Porque o S. adora o filho. Nao deixa de lhe ligar, de lhe escrever, de tentar falar e estar com ele.
Que estupidez toda esta história...
Aho que qualquer mae que ame os seus filhos percebe a indecencia desta história estupida e mesquinha.
Porque é evidente que compreendo o ressentimento, as mágoas. Compreendo que nao seja fácil imaginar que o nosso filho possa gostar de estar com o Pai e a sua nova companheira. Compreendo a dor que isso cause, o receio de que o filho talvez até prefira, num determinado momento, uma companhia que nao seja a nossa.
A sério que compreendo. Mesmo. Mas essa tem de ser uma dor da mãe. Nunca do filho. Essa tem de ser uma batalha interior vivida pela Mae, nao pelo filho. A mae tem de incentivar o contacto entre o filho e o Pai (com as necessárias excepções em casos em que o Pai nao seja digno desse nome) e até com a sua nova companheira e eventuais irmãos, se isso for o melhor para a criança. Porque ela é que está em jogo. É o seu equilibrio, o seu futuro, os seus traumas, a sua felicidade que está em jogo.
Nao dos progenitores que, de um modo ou de outro, são crescidos e protegidos. Agora os filhos... Têm de crescer num ambiente equilibrado e suadável, onde nao haja espaço para mágoas, rancores, invejas ou sentimentos maus. Têm de estar rodeados de amor e compreensão. Devem perceber que nao faz mal gostar de quem os trata bem, ainda que os pais nao gostem disso...
Enfim...
S. e X., espero que o G. venha, pelo menos, no Natal e que um dia a vossa familia possa estar reunida, em paz e equilibrio.
Beijos doces

10 comentários:

Pai Para Sempre disse...

Em nome dos quatro...muito obrigado pela lembrança, pelo carinho, pela confiança :)
Não tem sido fácil...
Resta esperar que o Gonçalo esteja em Portugal dentro em breve.
Um beijo para ti e um xi coração para os três príncipes.
S, lda

Maria e Companhia disse...

Também não compreendo... e apesar de não conhecer as pessoas em causa (sigo o blog já há algum tempo), desejo mesmo que a situação se resolva... para bem do menino!

Maria & Companhia

Anónimo disse...

ó mulher mas julgas ke por leres uns blogs , ter meia duzia de encontros com amizades virtuais faz de ti conhecedora de alguem tão profundamente ao ponto de afirmar certas coisas?
o inferno tá cheio de pessoas como tu e como esse casalinho, tão bem intencionadas lol..

Anónimo disse...

ó mulher mas julgas ke por leres uns blogs , ter meia duzia de encontros com amizades virtuais faz de ti conhecedora de alguem tão profundamente ao ponto de afirmar certas coisas?
o inferno tá cheio de pessoas como tu e como esse casalinho, tão bem intencionadas lol..

Porque será que este tom parece-me familiar???????

Lamento que estas duas situações aconteçam, a primeira ao casal, a segunda a resposta que esquece que as pessoas tem sentimentos, o que não deverá acontecer a quem responde assim, é bom começar a tentar comer coisas doces para a amargura passar, bj S

barrigacheiadefelicidade disse...

Ora vamos lá ver:
1. Mas então este blogue nao é meu?
Lê-o quem quer e ignora-o quem quiser. quem optar por ler nao tem outro remédio senao levar com as minhas opiniões sobre tudo o que aqui escrevo.
2. Do mesmo modo, aceito eu todos os comentários que recebo. Nao os apago, nao faço mediaçao, nada... Mas irritam-me os comentários anónimos! identiquem-se, caramba!
3. Nao é uma amizade virtual. Sou amiga da X. desde o tempo de faculdade e do S. desde que se casaram. São boas pessoas, sim. Doces, amigas, queridas, FELIZES!
4. Em relação a este caso em particular, nao tenho boas intenções. Nem boas, nem más. Apenas carinho, amizade e esperança de que o G. nao sofra mais do que o necessário.

Beijos docinhos para todos. Mesmo para o anónimo....

Cresce barriguita...cresce!!! disse...

Querida amiga,
Desculpa a minha falta de comentarios no teu blogue mas leio sempre...desta vez e porque tbm eu sigo o sergio e seu drama, e porque tbm eu tenho um filho e estou separada...sei bem que um filho precisa de ambos os pais..e que os problemas dos pais nao devem afastar os filhos!!! JAMAIS irei fazer o meu filho sofrer o que a mae do goncalo faz ao filho....mas quem acredita...sabe q CA SE FAZEM CÀ SE PAGAM.....qt ao comentario anónimo...q posso eu dizer...qdo não há capacidade de amar um ppo filho mais que o nosso ppo UMBIGO E ORGULHO...escondem-se atras de anonimos..etc etc...ÈS uma grande mulher minha querida com 3 lindos filhotes....qt ao PAI PARA SEMPRE....aquele abraço...UM BEIJO ENORME

Anónimo disse...

Não sei quais os motivos que levam a mãe do G para não deixar ver o pai, mas de facto não concordo em absoluto que uma mãe ou um pai proibam o filho, ou filhos de verem, conviverem,um com o outro, não tem cabimento. Já se me disserem não quero que convivam com o companheiro/companheira isso já depende do motivo da separação mas só eles o poderão dizer e fazer.

barrigacheiadefelicidade disse...

Olá outro anónimo...
Apenas uma letrinha do nome no fim, nao?
Vá, concordo contigo. Compreendo que um progenitor se sinta triste ou incomodado com o facto do seu filho conviver com o companheiro do seu ex-conjuge. Acho isso absolutamente normal e sei, de uma certeza absoluta, que, no meu caso em concreto, isso me vai partir o coração e vou passar dias a chorar rios de baba e ranho. Mas, uma vez mais, essa será a minha dor. Nao a dos meus filhos. A eles, transmitir-lhes-ei conforto. tentarei explicar-lhes que nao faz mal gostarem de outra pessoa que os trata bem e que gosta deles. Que nao me estão a trair por se sentirem felizes com o pai e a sua companheira. E isso vai ferir-me de morte, sim. Mas a mim. Nunca aos meus filhos, a quem quero muito mais que a mim.
Este é, para mim, o busilis da questão, percebes? Somos todos humanos e temos o direito de sofrer. Mas o dever de proteger os nossos filhos de todos o sofrimento possível...
Beijinhos e volta sempre

A mãe que capotou disse...

Estas situações Não deviam acontecer, mas acredito que com o tempo os adultos consigam ver com mais lucidez e pôr os interesses da criança em 1° lugar ...
Que sejam todos muito felizes ...

somebody disse...

酒店經紀人,菲梵酒店經紀,酒店經紀,禮服酒店上班,酒店小姐,便服酒店經紀,酒店打工,酒店寒假打工,酒店經紀,酒店經紀,專業酒店經紀,合法酒店經紀,酒店暑假打工,酒店兼職,便服酒店工作,酒店打工經紀,制服酒店經紀,專業酒店經紀,合法酒店經紀,酒店暑假打工,酒店兼職,便服酒店工作,酒店打工,酒店經紀,制服酒店經紀,酒店經紀