quinta-feira, 6 de março de 2008

Estórias do M.

O M. - I)
Outro dia o M. pediu-me, pela enésima vez, colo.
E eu, pela enésima vez, disse-lhe que não podia. Que a minha barriga tem um doi-doi e que não posso fazer esforços.
Depois desta minha longa explicação ele foi buscar um banco:
"- Senta, mamã! colo...
Partiu-me o coração...
A partir daí, dou-lhe colo, a ele e ao P., sempre que me pedem. Quanto ao doi-doi na barriga... bem, há-de curar mais depressa que os doi-dois do coração...

O M. - II)
Os meus filhos adoram banho. e, como é evidente, chapinham tudo á volta.
Sexta-feira passada estavam a tomar banho e o P., como sempre, a bater na água como se não houvesse amanhã.
Eu, com toda a calma possível, lá comecei a dizer-lhe que não pode chapinhar tão de força, que me molha, que não pode bater com os pés, que cai, etc, etc...
O M. levantou-se da banheira, pôs a mão na cabeça do P. e começou a dizer-lhe:
- calma, mano! calma, mano!
...