quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Um dia de quase Outono


Ontem tivemos a nossa primeira experiência de castanhas assadas: A minha primeira deste ano, e a primeira do P. e do M., das suas curtinhas vidas...
Fomos comprar sapatos e lá pertinho da Loja estava o senhor das castanhas assadas.
Comprei uma dúzia, repartida por dois pacotinhos feitos de páginas amarelas, um para cada um deles, e depois fomo-nos sentar numa esplanada a disfrutar da surpresa deles.
Expliquei-lhes que estavam quentes, que tinham de tirar a casca e comer depois...
Acho que não ficaram grandes fãs...
Confesso que também não gosto especialmente de castanhas, sejam assadas, cruas ou cozidas. Gosto do cheiro, gosto de as comprar na rua. Gosto de as ver vender e sentir o fumo que anuncia a chegada do outono.
Já uma vez escrevi que sou muito de cheiros. Este é um dos meus favoritos. E quero muito passá-lo aos meus filhos. Gosto de cheiros que trazem memórias agarradas. Momentos impregnados...
Quero que sempre que passem por um vendedor de castanhas se lembrem da nossa cidade, das ruas movimentadas e deste e de outros passeios que demos em conjunto!
Depois dessa experiência (e de terem entornado duas chávenas de leite e de terem bebido outras duas), fomos a um parque de diversões. Um espaço muito interessante para dias de chuva, com divertimentos de bolas, insufláveis, desenhos e campos de futebol cobertos.
Eles gostam muito de lá ir e até agora sempre fui com eles.
Ontem, como passei numa loja que tinha t-shirts do FCP em promoção, decidi ver se eles ficavam sozinhos (com a monitora) enquanto ia escolher as camisolas. E não é que ficaram, muito alegres e entusiasmados?
Estão a ficar tão crescidos!!!
O M. até pediu á monitora para fazer chichi...
Depois fui ainda brincar com eles um bom pedaço e quando viram as minhas sacas das compras, disse-me o M.:
- Eia, uma prenda! Que sorte!

Como se nunca recebesse prendas...

Tão queridos, sempre!