quinta-feira, 14 de maio de 2009

Outro texto de que gosto muito




Também gosto muito deste texto. Ora vejam lá:




"É o cheiro que me entontece.
Não apenas o cheiro, mas muito.
Cheiro a homem. A macho que fuma, que trabalha, que ama – com meiguice, com violência -, que chora se sofre. Que ri, se feliz. Que vive. Muitas vezes no limbo, mas que arrisca, que decide, que vive.
São as mãos que me enlouquecem.
Não apenas as mãos, mas muito.
Mãos de pessoa. Que mexem, que tocam, que acariciam.
Com maciez de menino mas autênticas.
Mãos que apertam, que mordem. Mãos reais. Que me fazem sentir real.
É a voz que me apaixona.
Não apenas, mas muito.
Voz rouca, verdadeira. Voz cheia, redonda, completa, de quem sabe bem aquilo que quer.
Voz que sussurra o meu nome. Na qual me abandono sem pesar. Voz de murmúrios, de gritos, de palavras, de paixão, de desamor. Voz de abraços, de aconchegos. Voz que fala de amor.
Os olhos.
Ah, sim, os olhos.
Não só, mas também.
Pelos olhos que me encantam, que me apreciam, que me despem e devoram, que entram por mim sem pedir. Que espreitam, que escrutinam, que acertam, que mimam. Que serenam.
Por inteiro.
Sim, por inteiro. Chegou e ficou. Rasgou memórias, preconceitos, ficou.
E aquele cheiro…
Não, não é tudo. Mas é muito…"