sábado, 19 de janeiro de 2008

Sábado de manhã

Qual é a desculpa que eu tenho para, num sábado de manhã solarengo, estar a analisar um contrato?
Deficiência mental?
Não....
Estou de cama, não posso sair de casa, o V. foi com os miúdos tomar o pequeno almoço e passear (que não têm culpa nenhuma das impossibilidades fisicas da Mãe), pelo que estou sozinha, a televisão não dá nada de jeito e eu estou farta de me sentir inútil...
Que saudades tenho dos meus fins de semana a quatro! Que bom vão ser os nossos futuros fins de semana a cinco!
Ontem fui a uma junta médica, que de médica não tinha nada. Fui atendida por duas senhoras de bata branca (não sei se médicas...) que nem sequer tiraram os olhos do cumputador durante os menos de 60 segundos que lá estive.
Perguntaram-me se tinha sido operada...
Sim, sim, e fiquei com a barriga inchada como se tivesse engolido meia duzia de bolas de futebol...
Se tivessem pelo menos olhado para mim de relance, viam a estupiz da pergunta...
Apeteceu-me mesmo dizer-lhes que não falo com pessoas que não olham para mim... mas como só queria sair dali rapidamente, fiz de conta que não vi. Mas também não olhei para elas uma única vez!
boa!... como se elas tivessem sequer notado!
O que tem piada nestas coisas, são as outras pessoas e os comentários que ouvimos.
Dizia um senhor, muito indignado com o facto de haver uma sala para os "pacientes" e outra para os "acompanhantes":
-Não percebo! Se venho como acompanhante, como posso ficar noutra sala? acompanhante é a pessoa que acompanha alguém. Se estou sózinho, sou acompanhante de quem? Vocês não percebem nada de português!
Não pude deixar de rir! Tinha toda a razão o tal senhor, na sua questão do português...