quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Crescimento



Hoje, quando vesti o casaco ao M., antes dele sair de casa para a escola, percebi que os meus filhos cresceram.

O casaco, que ainda há pouco lhes era grande, de repente está curto nas mangas e no comprimento. E eu nem me apercebi!

Terei andado distraída ou este tipo de crescimento é demasiado imperceptível? Ou serei eu que não quero que cresçam?

Se eles pudessem crescer e continuar a ser os meus bébés...

Quando vejo os filhos da G., já tão grandes, e lhe digo: " os teus filhos estão tão crescidos!", penso na angústia que eu vou sentir quando me disserem isso a mim.

Claro que é bom que cresçam saudavelmente. Faz parte das minhas aspirações de mãe, mas também faz parte deste sentimento agridoce que é vê-los ganhar asas...

O que vale é que hoje o P. me disse, olhando muito seriamente para as pernas:

- Tem pêlo.

E eu já a pensar: O Meu Deus, começas cedo... respondi-lhe:

- Têm filho. E quando cresceres vais ter muitos mais!

E ele, amoroso com a Mãe, mesmo sem saber, respondeu:

- Não, não, não...

Imaginando que esta foi uma manifestão anti-crescimento e não anti-pêlos (o que eu também compreenderia, não vá dar-se o caso de me sair um Toni Ramos em versão loira de olhos azuis):

Obrigada Filhinho! Mantêm-te criança enquanto conseguires!...