segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Diferenças


O M. é, de facto, um terrorista. Um desajeitado que em vez de caminhar, corre e anda sempre a tropeçar. Bate no irmão, dá pontapés em tudo, atira as coisas para o chão, e sou capaz de o imaginar no colégio a tirar os brinquedos aos outros miúdos e a puxar-lhes os cabelos...

Em contrapartida, é muito meigo. Doce como mel. Agarra-se ao nosso pescoço a dá-nos beijinhos amorosos. Sorri para nós como se fossemos o centro do seu mundo. Quando chega da escola já vem a chamar a mãe, mesmo antes de entrar no portão... e anda sempre a chamar pelo mano. Se pedir alguma coisa para ele (um brinquedo, pão, uma chupeta, uma caneta, seja o que for), pede também para o irmão. É generoso e muito, muito querido.

O P. é bem mais calmo. Faz birras monumentais se estiver com sono, mas exceptuando esses momento, é bem mais fácil de lidar. É fisicamente mais frágil, pede mais colo e adora miminhos. É muito atento, curioso e um autentico palhaço. Adora brincar, inventar brincadeiras, escrever, dançar e cantar. Não é tão apegado a nós. É mais independente, mas à noite, puxa-me a cara para a dele e fica a adormecer bem agarradinho a mim... e também adora o irmão: Sempre a ver onde o M. está, o que está a fazer...

São tão diferentes! E amorosos, docinhos, lindos, risonhos, queridos, uns amores! Que me derretem o coração.